domingo, 2 de abril de 2017

Experimentando novamente!

A prova do crime, 123,2. Final de janeiro era 128kg! Sigam no insta @raffon12
Personas, como estão? Pois é, os últimos dias tem sido de batalhas. A última semana foi cheia de situações que movimentaram minha rotina, acabei não seguindo a risca o planejamento de alimentação e atividade física. Mas isso não é o fim do mundo, afinal, semana que vem terei (se Deus permitir) mais sete dias, sete oportunidades para atingir a meta  de 1kg off. Isso é realmente bom. Uma meta pequena. Um prazo aceitável e uma vontade que me leva adiante. Embora a semana que passou não tenha sido como planejei, consegui, graças a Deus, mandar 1,3kg embora. é isso aí. Tenho experimentado novamente a sensação agradável e plena da boa esperança. Vamos comigo. Estou com vocês e vocês, bom, vocês sempre estão comigo! Let's Go. Deus abençoe!

sábado, 28 de janeiro de 2017

I'm back!


Um dia eu pensei: Eu também posso! Até então minha bronca era aquela bastante comum a muitos de nós: PRECISO EMAGRECER! O tempo passou e aprendi que além de pensar era essencial agir, afinal, muitas vezes ficamos no mundo das ideias e não arcamos com o 'ônus' do trabalho duro. Foi um tempo maravilhoso. Três anos de ralação e aproximadamente 50kg off. Caminhadas, alimentação balanceada, resultados e muita empolgação. Outros três anos se passaram e com eles cerca 30kg subiram na balança (estou com 128kg, putz). Não fosse o fato que ganhar peso é muito mais fácil que o contrário eu teria tido mais sucesso na minha empreitada! Bom, mas isso não quer dizer que está tudo perdido, lógico! Então chega de falar e bora lá cuidar de novo da alimentação. Voltar a praticar atividade física e também escrever sobre isso tudo por aqui. #Eutambémposso #tamojunto

Segue lá: facebook.com/tambemposso
Inta: @raffon12

domingo, 27 de setembro de 2015

Emagreça. Estou mandando!


Buenas people, como vão?
Olha só que interessante, o UOL publicou uma matéria sobre como o cérebro humano diz ao corpo para queimar gordura. O texto, publicado anteriormente na revista Cell, apresenta descobertas importantes no modo como a comunicação entre o cérebro e o tecido adiposo acontece. Essa comunicação entre o tecido adiposo e a massa cinzenta se faz através da leptina, o famoso hormônio da saciedade, que é responsável pelo equilíbrio energético e consequente manutenção do peso. Os níveis de leptina são informados ao hipotálamo, que analisa essa informação e ordena se devemos comer ou não [mais ou menos isso rs].
Segundo a pesquisadora Ana Domingos, do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) em Oeiras, o que foi descoberto agora é que existem indivíduos obesos em que o cérebro não identifica a quantidade de leptina, em outras palavras é como se o hipotálamo ignorasse o relatório que o adipócitos [células de gordura] enviam, consequência: a gente se transforma em balofo. Enfim, no texto publicado há muitos mais detalhes.
É importante observar essas novas descobertas, a ciência trabalha para entender esse misterioso e complexo sistema que faz como que nos tornemos fofs ou não. Esperamos, e acreditamos, que por meio de tantas pesquisas poderemos em breve, não ter uma cura miraculosa para a obesidade, mas ferramentas muito mais eficazes para combatê-la e preveni-la.

Clique logo ali para ler a matéria na íntegra:
Como é que nossa massa cinzenta dá ordens [ou não] para nosso corpitcho queimar gordura!

E clique aqui para ler a publicação na revista Cell

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Sedentário

Olá, tem alguém em casa? Nossa, isso está cheirando a poeira...
Tem até uma geladeira velha...

Acho [só acho] que é assim que as pessoas se sentem quando entram aqui no meu velho blog, perdidas em uma casa velha e empoeirada. Mas apesar de parado ele continua bem vivo. Talvez esteja sedentário, é, eu sei, mas isso, assim como a motivação que não vira hábito, também passa. Por falar em hábito, qual tem sido a força dos hábitos em nossa vida? No dia a dia, quais forças nos fazem abrir uma caixa de bombom, pegar um 'satanazes' daqueles, abrir, colocar na boca e muitas vezes devorá-lo praticamente sem perceber? Isso é papo de 'gordo'? É nada! É papo de quem tem hábito feio. Os hábitos são mais fortes, sutis e presentes na nossa vida do que pensamos, aliás, pouco pensamos neles e por isso é tão difícil mudar. Algum estudiosos renomados de universidades super hiper mega power conceituadas mundo afora descobriram que hábitos não morrem nunca. É impossível fazer com que um hábito deixe de ser parte da nossa rotina, por outro lado, e agora bem melhor, é possível transformar o hábito ruim em algo bom. Quando o assunto é perder peso, eita nós, os olhos até brilham, e nesse caso brilham mais por uma luz de esperança do que por um espeto de picanha [exagerei inhahahaha].
O grande desafio que temos aqui é o de como mudar os maus costumes alimentares e as rotinas na frente da televisão, ou fazer com que praticar uma atividade física se torne tão necessário quanto arroz com feijão, de modo que não possamos ficar nem um dia sem. O mecanismo do hábito deve ser estudado, oor isso vale apena uma leitura mais específica sobre o assunto, aliás, boa leitura também é um hábito. Deixo aqui a dica de um livro muito bom, um poderoso referencial com informações muito interessantes sobre o tema.
No livro O Poder do Hábito, um compilado de estudos e histórias, entrevistas e relatos, Charles Duhigg apresenta a estrutura do hábito e ilustra muito bem a força que isso tem, e como podemos ser muito mais bem sucedidos quando aprendemos a lidar com eles.
É isso aí people, vida nova exige hábitos novos ou no mínimo a conversão dos velhos em algo realmente positivo para 'nozes'.  

Até breve!

quinta-feira, 5 de março de 2015

Primeira ou Segunda? Qual é a sua?

Há um grande preço a ser pago. Falando em nome dos meus amigos gordinhos, digo que temos duas formas de pagamento, mas o preço deve ser pago, seja por uma seja por outra. Tudo nessa vida custa. Qual preço estamos dispostos a pagar por aquilo que nos dispomos a conquistar? Emagrecer custa caro, mas é o investimento mais bem pago que podemos fazer. Comer à la vonté ou encher o pandú ainda que não exista fome é muito prazeroso, todavia também gera uma fatura a ser paga.
Gordinhos, vamos tentar entender que seja comendo ou seja emagrecendo o preço deve ser pago.
Nossas duas formas de pagamento são: a primeira - comer, beber, comer, beber, dormir, comer, beber, dormir e engordar sem culpa, sem preocupação, sem maiores reflexões sobre as consequências disso tudo. Essa forma de pagamento é mais fácil, mais prazerosa, não exige esforços, pode ser feita no sofá em frente a TV e de preferência com um algum quitute em mãos. Todavia a fatura vai chegar, e nesse dia será muito difícil qualquer tipo de negociação. Ela geralmente chega de forma integral e leva o que lhe pertence sem chorumelas.
Na segunda forma a conta é paga em prestações e ela tem alguns inconvenientes, como nos submeter a pensar de modo saudável, a ter atitudes, comer certinho, sair do comodismo e se mexer. Esta segunda forma de pagamento é como um parcelamento a perder de vista, exige mais atenção, dedicação e foco, mas no final trás um bônus que a primeira forma de pagamento não trás. Ela nos faz suar a camisa e abrir mão de coisas saborosas por coisas que realmente são gostosas e saudáveis como vestir um número de calça menor, conseguir amarrar o tênis, subir uma escada etc.
A fatura vem e cabe a cada um escolher a melhor forma de pegar esse conta. Primeira ou Segunda?
Qual é a sua?

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Fim de semana, o terror dos Emagricélis

























Minha maior luta foi [e ainda é] aprender a lidar com o fim de semana.
Um sinal de que as coisas estão mudando é quando a pessoa passa a ver o fim de semana e os feriados prolongados como ameaças aos objetivos e não como oportunidade de voltar ao 'Egito' [voltar ao velho hábito, jacar a vontade]. É necessário se cuidar muito mais nos fins de semana sim.
É mais fácil se recuperar de uma jacada entre segunda e sexta do que de uma jacada do sábado e no domingo! Porque temos que nos esbaldar no fim de semana? O que diferencia esses dias dos outros? O metabolismo não conhece o calendário, mas sabe muito bem absorver tudo que é excessivo e transformar em 'adoráveis' depósitos de gordura. O dia que tivermos domínio próprio à mesa, seja no sábado ou no domingo, creio que nesse dia teremos realmente compreendido e absorvido todos os conceitos sobre reeducação alimentar, sobre nossas reais necessidades e sobre como nosso corptcho reage aos nossos exageros. Bom, hoje é sexta, hora de se preparar, de se concentrar para o findi e praticar a boa alimentação para resultados ainda melhores! Bora lá!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Rostinho redondo? Eu passo...

 























Esta foto é de dezembro de 2008. Foi quando defendi meu TCC na universidade. Estava com 144,5kg. A rotina era sombria, e durante um bom tempo tive o hábito de tomar duas coca-colas de 2 litros por dia. Por muitas vezes comprávamos uma antes do almoço e outra a tarde [lógico, eu não tomava sozinho, mas não haviam muita pessoas para tomar 4 litros de refrigerante lá, então boa parte do veveninho black vinha parar no meu corptcho]. A grana era curta, a falta de entendimento e conhecimento também. Não havia estímulo, não havia crença na possibilidade de mudar... O que havia era um conceito equivocado de que gordo é gordo e ponto final. Depois dessa foto demorei ainda dois anos e meio pra tomar uma atitude mais séria. A vida estava passando, e eu, preso em minha morbidez sentia o peso que sobre mim estava vindo. Graças a Deus a motivação veio. Nada foi fácil e continua sendo difícil. Aprendi que o merecimento de um ato que se propõe fazer não é algo que encontrarei depois de metas serem atingidas, mas que o gosto saboroso do trabalho duro eu posso, e devo, desfrutar agora, no dia-a-dia, em cada salgado que fica para trás, em cada copo de veneno adocicado que não entra em meu corpo. 
A vida é essa, e eu escolho lutar por ela.